30/11/2018

Voltaremos em 2.019



Olá pessoal!

Chegou a época do ano em que a gente dá aquela paradinha estratégica...
Entraremos de férias com a nossa página até janeiro de 2.019!
Vamos aproveitar para atualizar nossa literatura, preparar as novidades, voltar com o melhor conteúdo e continuarmos oferecendo a você a melhor informação diária!
Aguardamos você aqui em janeiro de 2.019!

A HISTÓRIA DO VINHO - Por Wilson Vieira



Não se pode apontar precisamente o local a época em que o vinho foi feito pela primeira vez, do mesmo modo que não sabemos quem foi o inventor da roda. Uma pedra que rola é um tipo de roda; um cacho de uvas caído, potencialmente, torna-se, um tipo de vinho. O vinho não teve que esperar para ser inventado: ele estava lá, onde quer que uvas fossem colhidas e armazenadas em um recipiente que pudesse reter seu suco.

Você sabe qual é a diferença entre as principais variedades de uva?



O sabor e o aroma dos vinhos mudam de acordo com o lugar da plantação: quanto mais quente, mais açúcar a uva desenvolve (e, portanto, mais álcool). Vinhos de clima frio tendem a ser mais delicados.

Você sabe qual é a diferença entres as principais variedades de uva?
Não?
Então veja aqui:

Pinot Noir, Merlot, Cabernet ou Syrah? Entenda as diferenças entre as uvas do vinho



Quanto mais quente o lugar da plantação, mais açúcar a uva desenvolve. Conheça as características das 16 variedades mais usadas nos vinho: 

As mulheres que se negam conhecer o passado violento de seus parceiros



No Reino Unido, uma lei permite que mulheres tenham acesso ao histórico criminal de seus parceiros. Mas muitas mulheres estão recusando informações que poderiam salvar suas vidas.
"Meu parceiro tem um passado violento? Estou em risco?". A Lei de Clare permite que mulheres – e homens – façam essas perguntas à polícia, que é obrigada a fornecer os dados. A polícia também pode tomar a iniciativa de oferecer essas informações às pessoas que se relacionam com pessoas de passado violento.

O Rio está politicamente podre



O Cristo Redentor, símbolo protetor da maravilhosa cidade do Rio, capital de um dos Estados mais importantes do continente brasileiro, deve estar envergonhado. A corrupção de seus políticos e governantes chegou a tal estágio que tudo parece podre.

Pezão, o discreto operador da máquina que tritura o Rio há décadas



As viaturas da Polícia Federal que deixaram o Palácio Laranjeiras carregando no banco de trás de uma caminhonete o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, escreveram nesta quinta-feira o mais recente capítulo do roteiro que levou o cartão postal do Brasil do topo do mundo ao fundo do poço. Apenas dois anos após sediar de forma bem sucedida as Olimpíadas, o Rio assiste, pela primeira vez, a um governador em pleno exercício do cargo ser preso –para se unir a uma coleção de outros três ex-governadores já detidos.

Palocci tem pena reduzida e vai para prisão domiciliar após acordo de delação



Dois anos, dois meses e exato um dia depois de ser preso provisoriamente, em 27 de setembro de 2016, o ex-ministro Antonio Palocci ganhou o direito de cumprir sua pena de 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão em casa. Por dois votos a um, os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal 4 (TRF-4), de Porto alegre, deliberaram ainda pela redução de sua pena para nove anos e 10 meses de prisão após Palocci assinar um acordo de colaboração premiada — cuja divulgação em outubro, autorizada pelo então juiz Sérgio Moro, contribuiu para agitar o conturbado ambiente da eleição presidencial.

Metade dos novos médicos que já substituíram cubanos está no Sudeste



O Ministério da Saúde informa que 8.278 profissionais que se inscreveram no edital para substituir as vagas deixadas pelos cubanos já estão alocados nas cidades para atuação imediata, após o fim da cooperação entre os dois países para o programa Mais Médicos. Desse total, 224 médicos brasileiros já se apresentaram efetivamente em 119 municípios brasileiros para substituir as vagas deixadas pelos profissionais cubanos.

Desafio do Mais Médicos sem cubanos é fixar substitutos no Brasil vulnerável



Desde que Cuba decidiu encerrar o acordo com o Brasil para o programa Mais Médicos, pelo menos 1.307 profissionais cubanos já retornaram à ilha, segundo a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), participante do convênio. O Ministério da Saúde tem agilizado a seleção de médicos para garantir a assistência de saúde aos usuários, mas até agora o número de médicos brasileiros que se apresentaram nos municípios corresponde a 17% das vagas deixadas pelos profissionais que já retornaram à Cuba.