31/08/2017

O mito de Lula ganha mais força e só condená-lo não é mais o suficiente para 2018



A Caravana de Lula pelo Nordeste tem se mostrado o maior acerto político do PT e de Lula nos últimos tempos. Aquele golaço quando o time está perdendo de 3 a 0 e que abre o caminho para uma reação histórica.

Um golaço que faz com que os adversários passem a achar que serão derrotados, mesmo estando à frente do placar. Porque o gol foi feito pelo craque do time que parecia acuado, cansado, imobilizado pela forte marcação e pelas pancadas que tinha tomado durante todo o campeonato.
Este craque pegou uma bola na sua defesa e disparou em velocidade impressionante, fez embaixadinhas, meteu a bola por entre as pernas de dois adversários e na hora que se deparou com o goleiro, lhe deu um chapéu e completou para o gol de calcanhar.
De tão lindo o gol, o estádio silenciou. Ao invés de gritar.
O silêncio do estádio é a metáfora do silêncio ensurdecedor da mídia sobre esta caravana de Lula pelo Nordeste. Um silêncio que comprova a beleza e o acerto da ação.
Lula está se mostrando do tamanho do Brasil. E está resgatando a esperança de que as coisas podem mudar e voltar a ser do jeito que foram com ele na presidência.
O Brasil não tem ninguém com condições objetivas de levar esta mesma mensagem para o povão. E por isso mesmo, Lula, se candidato, é imbatível.
E se não for candidato por obstrução golpista, ainda terá condições de eleger alguém que vier a apoiar.
Porque depois desta e de outras caravanas que virão por outras regiões, o Lulismo estará imensamente forte para a disputa de 2018.
Como alguém já disse, podem até prender Lula, mas o lulismo eles não terão como prender.
Por isso mesmo, talvez não baste tirá-lo do jogo.
Este golaço de Lula cria um novo problema para o golpe.
PS: E por isto mesmo o blogueiro decidiu que vai cobrir a reta final da caravana. Parte para Teresina no dia 2 e acompanha o grupo que está na estrada até o Maranhão.

Renato Rovai
Brasil 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário