20/09/2017

8 motivos provam que ser nota 10 na cama não livra ninguém de chifre



Ter pegada pode não ser motivo suficiente para que alguém continue ao seu lado. Embora o senso comum tenha ditado durante décadas que mandar bem na cama ajuda a segurar alguém, essa crença nem sempre correspondeu à realidade dos fatos. A gente explica por que:

O vínculo entre vocês é frágil

O sexo pode ser fantástico, mas, se olhar bem de perto, talvez seja o único elo que junta vocês. A conexão emocional que une um casal é fundamental para que os dois não só assegurem o compromisso de ser fiel um com o outro, como se esforcem realmente para cumpri-lo. E ela precisa de cumplicidade, empatia, parceria, valores e planos compartilhados.

A responsabilidade pelas ações e vontades do outro não é sua

Não cabe a você se culpar ou não pela infidelidade do par ou tentar evitá-la com qualquer tipo de recurso. A responsabilidade da traição é de quem trai e não de quem é traído.

Nem sempre o que o outro procura tem a ver com sexo

As pessoas possuem necessidades que são inconscientes e podem viver anos sem identificá-las. Sem saber o que desejam de fato, muitas partem para outras relações para tentar lidar com essa falta.

Reflita: você é nota 10 na cama porque quer ou porque acha que precisa?

Você inventa posições acrobáticas, usa e abusa das preliminares caprichadas, se mostra sempre a fim e topa todas as fantasias do par porque isso tudo lhe proporciona mesmo prazer? Ou é apenas como estratégia para manter a pessoa ali, de quatro (literalmente ou não) por você? A espontaneidade é a chave para toda transa funcionar bem. Se você faz as coisas apenas para provar para o outro (e para si) que manda bem entre quatro paredes, está enganando a ambos.

Você acha que o fato de mandar bem na cama é seu único ponto forte

A sensualidade nem sempre vem acompanhada de autoestima e autoconfiança, características primordiais para manter o interesse de alguém.

Ser alvo da cobiça de alguém diferente pode acionar o gatilho da libido

Vai acabar em sexo, é claro, mas o processo da conquista - a troca de olhares, as palavras de duplo sentido e até mesmo a sensação de fazer algo proibido - é que determina o fato.

A insegurança alheia não é problema seu 

Algumas pessoas infiéis são inseguras. Para se auto afirmarem e se sentirem atraentes, desejadas e sensuais, acabam traindo.

Quando a vontade real bate, ninguém segura

A traição nem sempre segue uma lógica. Não somos seres plenos e perfeitos; pelo contrário: somos repletos de nuances e muitas de nossas atitudes seguem determinações inconscientes. Um gesto, um olhar, uma frase, um momento mais sensível ou vulnerável pode acabar em infidelidade.

FONTES: Priscila Junqueira, psicóloga especialista em Sexologia pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), e Sandra Samaritano, psicóloga e terapeuta de casais, de São Paulo (SP)
conteúdo
Heloísa Noronha
UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário