06/11/2017

Cientistas dizem que podem provar a existência da alma imortal



Stuart Hameroff, do Centro de Estudos de Consciência da Universidade do Arizona, e Sir Roger Penrose, da Universidade de Oxford, trabalham, desde 1996, em uma teoria quântica da consciência, segundo a qual a alma está contida em estruturas denominadas microtúbulos, localizadas nas células cerebrais.

“A ideia vem do pressuposto de que o cérebro é um computador biológico, com cem trilhões de neurônios, cujas conexões sinápticas atuam como redes de informação”, afirmam os especialistas, que dizem também que a experiência humana é o resultado dos efeitos da gravidade quântica sobre os microtúbulos, em um processo denominado “redução objetiva orquestrada” (Orch-Or, na sigla em inglês).

Embora seja de consenso científico que a consciência tenha surgido como uma propriedade evolutiva dos organismos biológicos, a teoria Orch-Or afirma que ela é, na realidade, uma característica intrínseca da ação de um universo não computável.

“Em uma experiência próxima à morte, por exemplo, os microtúbulos perdem seu estado quântico mas a informação dentro deles não é destruída. Isso significa que, em termos compreensíveis, a alma não morre, mas retorna ao universo”, afirmam os cientistas.

Além disso, eles argumentam que, no momento da morte, “o coração deixa de bater, o sangue deixa de fluir e os microtóbulos perdem seu estado quântico. A informação quântica nos microtúbulos não é destruída; ela não pode ser destruída; simplesmente é distribuída e se dissipa pelo Universo”.


aldea viral
seuhistory

Nenhum comentário:

Postar um comentário