25/04/2018

Por acidente, cientistas criam enzima que come garrafas de plástico



Acidentalmente, cientistas da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, criaram uma enzima mutante que come garrafas PET. Isso pode ajudar a solucionar a crise de poluição plástica atual. A descoberta veio após a descoberta de um inseto que comia plástico, no Japão. Agora os cientistas revelaram a estrutura detalhada da enzima responsável por isso.

A equipe ajustou a enzima e acompanhou sua evolução, e os testes mostraram que os cientistas inadvertidamente fizeram com que a molécula tivesse ainda mais aptidão para eliminar o plástico PET, utilizado principalmente em garrafas. “Nós descobrimos que acabamos melhorando a enzima, e ficamos chocados”, disse o líder da pesquisa, Prof. John McGeehan.
A enzima mutante leva alguns dias para começar a devorar o plástico – muito mais rápido do que os séculos que o material levaria para ser eliminado nos oceanos. E os cientistas acreditam que podem acelerar ainda mais o processo e torna-lo viável em larga escala. “Queremos utilizar essa enzima para transformar garrafas plásticas de volta em seus componentes originais, o que significa que não precisaremos usar mais petróleo e, fundamentalmente, isso reduzirá a quantidade de plástico no meio-ambiente”, afirmou McGeehan. 
A questão, no entanto, é um pouco mais complexa, já que as empresas acham mais barato produzir mais plástico do que reciclar o atual. “Eu acredito que exista hoje um direcionamento público: a percepção está mudando tanto que as empresas estão começando a se questionar como elas podem reciclar devidamente esse material”, declarou o cientista. 

the guardian
seuhistory

Nenhum comentário:

Postar um comentário