18/11/2018

Consumo de álcool torna mais difícil desligar o 'piloto automático'


Segundo um  estudo, pessoas sob efeito de álcool não conseguem deixar de lado comportamentos repetitivos e respostas automáticas, prejudicando uma série de funções, como por exemplo a de dirigir um carro.Em um novo estudo sobre os efeitos de bebida alcoólica no organismo, pesquisadores do Instituto do Cérebro e da Mente (BMI, sigla em inglês), no Canadá, demonstraram que pessoas sob efeito de álcool apresentam maiores dificuldades em sair do modo “piloto automático” — ou seja, em deixar de responder automaticamente às situações e tomar uma decisão repentina, como por exemplo na hora de dirigir um carro.

Para realizar o estudo, os pesquisadores pediram a seis voluntários para apontar na direção de um alvo que aparecia em uma tela, o mais rápido possível. Em alguns casos, o alvo mudava de lugar depois, e os participantes deveriam ajustar o local para onde apontavam. De acordo com os pesquisadores, esse tipo de tarefa faz com que se desenvolva um tipo de “piloto automático” para esse tipo de tarefa, gerando uma resposta rápida do cérebro.
Um segundo grupo, com outros seis participantes, realizou o mesmo teste, mas com a instrução de não seguir o alvo quando ele mudava de lugar. Os participantes dos dois grupos cumpriram suas tarefas em estado sóbrio e depois de consumir cerca de cinco drinques alcóolicos (a concentração alcoólica no sangue dos participantes ficou em torno de 0,06%).
Resposta automática – Os participantes obtiveram resultados semelhantes antes e depois do consumo de álcool no que se refere à capacidade de apontar o alvo rapidamente. Ou seja, a bebida alcoólica não parece afetar a capacidade de uma pessoa entrar no piloto automático. Isso mudou, porém, na parte do teste em que eles não deveriam seguir o alvo quando ele mudava de lugar. Muitos participantes corrigiam a posição e continuavam apontando para o alvo quando ele mudava de lugar. Para os autores do estudo, publicado nesta quinta-feira no periódico Plos One, esse resultado indica que o consumo de álcool reduziu nos participantes a capacidade de desligar o “piloto automático”.
“Este estudo mostra que apesar de comportamentos que estão bem treinados ou ‘automáticos’ serem menos afetados pelo consumo moderado de álcool, isso muda quando você deve superar essas respostas automáticas e fazer algo diferente”, explica Kevin Johnston, principal autor do estudo.
Os autores ressaltam que essa habilidade é muito importante em diversas situações cotidianas, como dirigir, uma vez que situações inesperadas podem ocorrer a qualquer momento, e o motorista precisa ajustar sua aceleração, freio e trajetória para evitar acidentes.
CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Acute Alcohol Consumption Impairs Controlled but Not Automatic Processes in a Psychophysical Pointing Paradigm

Onde foi divulgada: periódico Plos One

Quem fez: Kevin Johnston, Brian Timney, Melvyn A. Goodale

Instituição: Instituto do Cérebro e da Mente (BMI) e University of Western Ontario, no Canadá

Dados de amostragem: 12 homens entre 19 e 31 anos

Resultado: Os resultados mostram que o consumo de álcool dificulta deixar de realizar ações "automáticas", e agir de forma diferente, de acordo com a situação.


conteúdo
Veja