11/02/2019

LUTO - Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em SP



O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira (11). 

A informação foi confirmada pela Folha. O Corpo de Bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão em trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo.
Eles seriam o piloto e o copiloto da aeronave, segundo as informações preliminares da corporação. A confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes veio mais tarde.
Um caminhão foi atingido pela aeronave. ​O motorista foi socorrido
O acidente ocorreu na altura do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco, próximo a um pedágio. 
A corporação atende a ocorrência com um helicóptero e 11 viaturas.


Foram feitas interdições parciais nas pistas do Rodoanel sentido Perus ​e da Anhanguera sentido Jundiaí. A concessionária CCR Rodoanel, que administra o trecho oeste do Rodoanel, informa que os motoristas têm como opção acessar a Anhanguera sentido São Paulo e pegar um retorno no quilômetro 18 para seguir sentido Jundiaí.
Ricardo Eugênio Boechat (Buenos Aires, 13 de julho de 1952São Paulo, 11 de fevereiro de 2019) foi um jornalista, apresentador e radialista, brasileiro. Já esteve presente nos principais jornais do país, como O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Foi também diretor de jornalismo na Band, trabalhou como âncora em diversos jornais do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Ganhador de três prêmios Esso, Boechat teve uma coluna semanal na revista ISTOÉ. Morreu em 11 de fevereiro de 2019, vítima de um acidente de helicóptero na cidade de São Paulo.
Filho de um diplomata brasileiro, nasceu na capital argentina enquanto o pai estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores. O jornalista Ricardo Boechat morreu na queda do helicóptero que caiu na manhã do dia 11 de Fevereiro de 2019 no Rodoanel, em São Paulo. A informação foi confirmada pelo governo do estado. Além de Boechat, o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo do piloto da aeronave carbonizado. 
Iniciou sua carreira na década de 1970 como repórter do extinto jornal Diário de Notícias. Também nessa época, iniciou sua carreira como colunista, colaborando com a equipe de Ibrahim Sued. Em 1983, foi para o jornal O Globo. Em 1987, ocupou por seis meses a secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco (1987-1991). Após o período voltou para O Globo.

Com conteúdo
Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário