12/06/2019

FARSA JATO - Imprensa internacional destaca vazamento da 'armação'



Le Monde, França  – "Lava Jato-Gate" mancha a imagem do ex-juiz Sergio Moro

Hoje ministro da Justiça, o ex-magistrado é suspeito de ter orientado as investigações sobre o ex-presidente Lula de modo impedir seu retorno ao poder.
O Brasil fez dele um ídolo, vendo no homem um xerife capaz de limpar um país atormentado por escândalos e imoralidade. Mas nesta segunda-feira, 10 de junho, o ex-juiz Sergio Moro, figura central da operação anticorrupção Lava Jato e "matador" de Lula, foi considerado a principal vítima do que o país chamou de "Lava Jato-Gate" ou "Lava Jato-Leaks".
Um escândalo que danifica ainda um pouco mais a imagem do ex-magistrado, já prejudicada desde a sua entrada no governo de extrema direita de Jair Bolsonaro, em janeiro .
Libération, França – Lula vítima de maquinação expressa?
Sem demostrarem que Lula é inocente, esses intercâmbios são um duro golpe para a solidez da acusação que levou o ex-presidente à prisão – ele cumpre uma sentença de oito anos e dez meses desde abril de 2018, após sua recente redução da pena –, impedindo-o de concorrer à eleição presidencial de 2018, da qual ele era o favorito.
(…)
As revelações do Intercept não surpreenderam ninguém. Os supostos abusos dos procuradores responsáveis pela Lava Jato e do próprio juiz Moro, contra Lula e outros, há muito são denunciados. Na segunda-feira, os advogados do ex-presidente pediram sua libertação imediata, repetindo que os julgamentos (há dez no total) contra o ex-presidente estão contaminados por ilegalidades.
The Guardian, Reino Unido – Brasil é abalado por alegações de que juiz que prendeu Lula colaborava com procuradores
O Brasil é abalado por alegações de que um juiz de destaque colaborou repetidamente com procuradores durante investigações de corrupção de alto perfil – incluindo o controverso caso que prendeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
De acordo com o Intercept, Sérgio Moro deu conselhos estratégicos, críticas e dicas aos procuradores durante a ampla investigação sobre corrupção, conhecida como Operação Lava Jato, que prendeu centenas de executivos, políticos e intermediários.
El País, Espanha – Vazamento sobre o ex-juiz Moro abala o processo que levou Lula à prisão
As mensagens publicadas neste domingo pelo The Intercept trocadas entre o então juiz Sérgio Moro e o coordenador da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, abalaram o Brasil e elevam a interminável tensão política no gigante sul-americano. Os diálogos põem em cheque a imparcialidade dos processos que levaram à prisão o popular ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dezenas de políticos e empresários.
The New York Times, EUA – Vazamentos levantam questões sobre imparcialidade de investigação sobre corrupção no Brasil
As revelações fornecem munição poderosa aos críticos de Moro, que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção e lavagem de dinheiro em 2017, o que o tornou inelegível para concorrer a um novo mandato na eleição presidencial do ano passado.
A prisão de Lula preparou o caminho para a eleição de Jair Bolsonaro, um político de extrema direita que nomeou Moro como ministro da Justiça e se ofereceu para indicá-lo para a próxima vaga na Suprema Corte.

Der Tagesspiegel, Alemanha – Prisão de ex-presidente Lula foi ato supostamente deliberado
O ex-chefe de governo brasileiro Luis Inácio Lula da Silva foi deliberadamente colocado atrás das grades para impedi-lo de concorrer às eleições presidenciais de 2018, de acordo com uma reportagem. O hoje ministro da Justiça e então juiz Sergio Moro e a procuradoria teriam colaborado, afirmou a plataforma investigativa The Intercept no domingo, citando dados vazados. Um representante do PT falou de um dos maiores escândalos do país.
Referindo-se a gravações em áudio, vídeos, fotos e conversas de e-mail privadas, The Intercept falou de "violações sérias, comportamento antiético e fraude sistemática". Segundo a matéria, os investigadores tinham grandes dúvidas sobre se as provas apresentadas eram suficientes para provar a culpa de Lula.


conteúdo
DW

Nenhum comentário:

Postar um comentário