25/07/2019

MDB de Curitiba se 'rebela' e faz convenção sem validade partidária

Resolução 02/2019 estipula as convenções municipais a partir de setembro.


O MDB do Paraná, presidido pelo ex-deputado federal João Arruda estipulou em Resolução Estadual, nº 02/2019, a prorrogação dos mandatos dos Diretórios do partido até o dia 15 de setembro de 2019, Resolução esta aprovada pela Executiva Estadual do partido.

A medida está em consonância com a diretriz adotada pelo Diretório Nacional do MDB, que recentemente também prorrogou o seu mandato com vistas a melhor perscrutar o momento político nacional.
O vice-presidente do MDB Estadual, Anibelli Neto disse que no âmbito do Estado do Paraná a decisão de prorrogação visou tentar buscar, quanto o mais possível, uma unificação das datas das convenções, com almejo de ter-se melhor organização partidária.
No entanto, o Diretório Municipal de Curitiba, mesmo tendo plena ciência do teor da citada Resolução, resolveu, por conta e risco, marcar a sua convenção na data de 25 de julho, sendo claro o aberto confronto com a determinação hierarquicamente superior.
Vale destacar que é inegável que a cidade de Curitiba representa uma posição estratégica na política paranaense, sendo absolutamente salutar a prorrogação do mandato do atual diretório, pois não há qualquer prejuízo aos atuais mandatários, tendo em vista que eles permanecerão frente ao comando do partido até se findar o prazo de prorrogação.
Nessa linha de ideias, é preciso ter como premissa que a cidade de Curitiba merece um olhar mais crítico e estratégico, devendo, pois, as ações do partido em Curitiba serem realizadas em prol da candidatura do partido e não de outros interesses puramente mesquinhos e particulares, finalizou Anibelli Neto.
Quem tomou a frente dos 'rebeldes' é o deputado estadual Requião Filho, que é secretário-geral da Executiva estadual do MDB. 'Rebelião' esta sem sentido ou propósito. 
Todos os 398 municípios do Paraná terão suas convenções municipais após a data estipulada em resolução, por que Curitiba 'rebelou-se' não tem uma explicação plausível e valida.
Requião Filho disse à imprensa que:
“Mais do que uma convenção, é um ato político em defesa da autonomia dos diretórios municipais e da democracia de um partido que a leva no nome Movimento Democrático Brasileiro. O partido tem base, tem vida e tem voz. Quem tem medo de voto não pode querer calar a militância”, numa referência à dificuldade que a direção estadual, por falta de apoio e votos, está enfrentando para assumir o controle do municipal de Curitiba.
“Se quiserem anular, que anulem. Se quiserem marcar para setembro, que o façam. Nosso grupo político é majoritário e vai vencer a eleição interna agora ou em setembro”, desafiou.
Bom, decisões partidárias devem ser respeitadas e seguidas, princípio básico da organização democrática no Brasil.
A convenção 'rebelde' deve sim ser cancelada pelo MDB estadual!

Nenhum comentário:

Postar um comentário