03/07/2019

O que revela o mapa alternativo do Brasil feito por cartógrafo húngaro



Um mundo "cheio de veias, coloridas como um arco-íris".

Foi assim que o criador de mapas húngaro Robert Szucs, de 33 anos, pintou o Brasil e vários países para mostrar sua visão artística de "centenas de milhares de córregos e rios".
O projeto River Maps, ou "Mapas de Rios" em português, vem sendo desenvolvido por ele há três anos e mostra cada bacia representada por uma cor.
"Eu amo a natureza e cresci perto de dois rios", disse o cartógrafo-artista à BBC News Brasil, "mas a maioria dos mapas hidrográficos que eu via nos livros, online e por toda a parte era pouco inspiradora para mim. Eles traziam todos os rios azuis e todas as linhas iguais. Foi aí que eu quis tentar criar mapas precisos e científicos, mas também bonitos - a ponto de levar as pessoas a quererem colocá-los na parede".
Com uma das redes fluviais mais extensas e diversificadas do mundo, o Brasil vê suas bacias ganharem vida no trabalho dele em tons de azul, vermelho, roxo e rosa, por exemplo. 
O criador de mapas Robert Szucs pintou o mundo e várias regiões dele separadamente, incluindo o Brasil

O retrato é de "um dos países mais bonitos do mundo e sem dúvida o que tem o rio mais famoso", diz Szucs, se referindo à Bacia Amazônica, a rede hidrográfica mais extensa do planeta.
Mapa dos EUA é um dos favoritos de artista-cartógrafo, por 'ter sido um dos primeiros'

Ao todo, a galeria online exibe cerca de 160 mapas, incluindo um dos Estados Unidos que cita como "o favorito, por ter sido um dos primeiros" que criou e aquele que tornou seu trabalho "conhecido internacionalmente".
A maioria dos mapas é criada a partir de dados de satélite e modelos digitais de elevação - que na prática, são modelos digitais que representam as altitudes da superfície topográfica agregadas a elementos como cobertura vegetal
Szucs
e edificações. A construção da galeria, segundo ele, é contínua. Novas partes do mundo vão, aos poucos, sendo acrescentadas.

Szucs se apresenta como uma mistura de geógrafo, cartógrafo digital e artista.
Ele é analista de Sistemas de Informações Geográficas e vem viajando o mundo em trabalhos voluntários de criação de mapas para Organizações Não Governamentais com atuação em áreas como arqueologia, biologia e conservação ambiental.
Bacia amazônica é destaque em mapa da América do Sul

Essas experiências, afirma, têm refletido diretamente no seu trabalho e uma delas em especial inspira outra galeria que fez incluindo o Brasil: são mapas de cobertura florestal, de cerca 40 países.
"Os mapas de florestas vieram depois dos mapas de rios. Eles foram inspirados pelo tempo que passei na Indonésia e vivi em uma floresta tropical por 6 meses, voluntariando e fazendo mapas em um centro de proteção de orangotangos", explica.
O Brasil também aparece em galeria sobre coberturas florestais, inspirada em viagem que ele fez à Indonésia

O Brasil, segundo ele, "com certeza" deverá aparecer em futuras séries, mais uma vez colorido.
Agora, o plano do geógrafo é fazer uma residência artística para se concentrar na criação de novas artes e mapas.
"Depois disso, eu gostaria de criar um livro com esses mapas, mostrando às pessoas a importância da conservação da natureza e tratando de questões ambientais, como perda de biodiversidade e crise do plástico".
Mapas de elevação e de cidades também deverão surgir, mas a natureza está no centro dos trabalhos.
 conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário