20/07/2019

Popeye estava certo: espinafre pode alterar seus músculos


O marinheiro Popeye, com sua paixão por latas de espinafre, chegou a inspirar crianças a dobrar a quantidade de vegetais elas comiam. Mas a dieta do desenho também pode ser inspiração para atletas e marombas, segundo um novo estudo da Universidade de Leuven, na Bélgica.

Os pesquisadores belgas investigaram o impacto do nitrato no desempenho esportivo. A substância é acumulada do solo por hortaliças folhosas, como alface, agrião, repolho e, é claro, espinafre.
Neste estudo inicial, os cientistas deram suplementos de nitrato aos participantes. Três horas depois, eles eram colocados em bicicletas ergométricas para fazer exercícios curtos de alta intensidade. Eram de 4 a 6 sprints, de 30 segundos cada, com intervalos de recuperação de 4 a 5 minutos - tipo uma aula de spinning -, três vezes na semana.
Os pesquisadores dividiram os participantes em dois grupos: metade deles pedalava em uma sala com uma quantidade normal de oxigênio. A outra parte fazia os exercícios em uma sala de hipóxia, com nível baixo de oxigênio, simulando um ambiente de grandes altitudes.
A combinação de hipóxia com o suplemento de nitrato foi a mais eficiente para ?ficar grandão?. Em só 5 semanas, o grupo que tinha treinado nas condições de altitude tinha transformado seus músculos.
Existem dois grandes tipos de fibras musculares, a vermelha (tipo I), desenvolvida principalmente por atletas de esportes de resistência e a branca (tipo IIa e IIb), mais relacionada às grandes explosões de energia e força.
No estudo, o pessoal que consumiu o nitrato e se exercitou a grandes alturas aumentou a proporção de fibras tipo IIa nos seus músculos em pouco tempo. Além disso, sua performance nos tiros (resistência e velocidade) também melhorou.
O próximo passo do estudo é descobrir se aumentar a ingestão de nitrato só com a alimentação é capaz de trazer os mesmos benefícios, se combinada com o treino em baixos níveis de oxigênio. Para dar uma ideia, esse estudo preliminar usou suplementos de 400 mg de nitrato. No dia a dia, a ingestão média desse componente é de apenas 61 mg - com exceção dos vegetarianos, que podem chegar à dose diária de 185 mg.
Outro ponto que falta investigar é se o uso crônico de altas doses de nitrato pode ser nocivo à saúde. Um dos possíveis problemas é que o nitrato, no corpo, se transforma em nitrito. Em excesso, ele acaba prejudicando as células vermelhas do sangue, que passam a ter dificuldade de transportar oxigênio.
Nesse caso, é melhor esperar novas pesquisas para sair correndo atrás de nitrato nas lojas de suplementos. Mas dar aquela reforçada na salada e juntar o espinafre à marmita de batata doce e filé de frango pode ser uma boa ideia.


conteúdo
Ana Carolina Leonardi
Editado por Karin Hueck
super 

Nenhum comentário:

Postar um comentário