12/09/2019

Casos da dengue no Brasil têm salto de 600% em oito meses



O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (11/09) que desde o começo do ano até o último dia 24 de agosto, foram registrados 1.439.471 casos de dengue no país. O número é sete vezes maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando foram feitas 205.791 notificações, e corresponde a uma média de 6.074 casos por dia.

Pelo menos 14 estados estão em situação de epidemia.
Em Minas Gerais, onde houve o maior número de ocorrências, foi registrado um total de 471.165 casos (índice é de 2,2 mil casos a cada 100 mil habitantes). A cifra é 19 vezes maior do que a verificada um ano antes, quando os municípios mineiros contabilizaram 23.290 casos.
São Paulo (437.047) aparece em segundo lugar, sendo, ainda, o estado em que a incidência da doença mais cresceu – 37 vezes que no ano anterior. Em 2018, foram reportados 11.465 casos.
Já em Goiás, foram 108.079 registros, 47% a mais do que em 2018. Enquanto no Distrito Federal foram 35.531 infecções, com uma incidência de 1.194,4 casos a cada 100 mil habitantes.
Também são destaques negativos no balanço Goiás (108.079 casos), Espírito Santo (59.318) e Bahia (58.956). Quando o critério é a variação por região do país, o quadro mais crítico se encontra no Sul (3.224,9%), que contrasta com o do Centro-Oeste (131,8%).
Apenas dois estados apresentaram queda na prevalência da dengue: Amazonas, que diminuiu o total de 1.962 para 1.384 (-29,5%), e Amapá, onde houve redução de 608 para 141 (-76,8%).
Casos de zika e chikungunya, doenças também transmitidas pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado, aumentaram também. Segundo dados do Ministério da Saúde, casos de chikungunya subiram 44% no período, passando de 76.742 e para 110.627. Sendo que na região Norte do país o recuo foi 32% e no Centro-Oeste, de 92,7%.
Já a infecção por zika passou no período de 6.669 para 9.813, aumento de 47,1%. Só o Centro-Oeste apresentou queda nas transmissões da doença (-35,4%).
A elevação do número de casos foi acompanhada de um aumento significativo de mortes. As três doenças somadas provocaram 650 óbitos (591 por dengue, 57 por chikungunya e dois por zika).
Como estados com alta concentração do chikungunya, se destacam o Rio de Janeiro (76.776) e o Rio Grande do Norte (8.899).
No caso da zika, o aumento também foi em quase todos os Estados. Só Amazonas, Pará, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás apresentaram redução de casos.

conteúdo
DW

Nenhum comentário:

Postar um comentário