08/09/2019

Os piores experimentos realizados em seres humanos


Experimentos com venenos, doenças venéreas e mutilação de corpos: o avanço científico não ficou livre de mazelas e muitos sofreram com testes cruéis em nome da ciência.
Veja abaixo alguns dos piores projetos já executados com pessoas:
Venenos: Os nazistas realizaram muitos experimentos, porém um dos mais cruéis ocorreu entre 1943 e 1944, quando eles analisaram o efeito de diversos venenos. Os cientistas os inoculavam nos prisioneiros dos campos de concentração, misturando-os nos alimentos. Muitas pessoas morriam imediatamente e outras eram assassinadas de modo que os cientistas pudessem estudar a ação dos venenos no organismo humano.

Unidade 731: Sob ordens do comandante Shiro Ishii, eram amputadas partes do corpo de vários prisioneiros para costurá-las entre si ou no corpo de outra pessoa. Às vezes, eles congelavam e descongelavam essas partes, o que causava gangrena nos pacientes. Além disso, eram injetadas doenças nas pessoas para estudar seus efeitos.

Doenças venéreas: O médico americano John Cutler utilizou prostitutas infectadas com sífilis para contagiar doentes mentais e soldados guatemaltecos, com o objetivo de descobrir se a penicilina agia contra as doenças venéreas.

MKULTRA, subprojeto 68: Sob a direção do Dr. Donald Ewen Cameron, a CIA desenvolveu o projeto MKULTRA, em que foram realizados experimentos com pacientes do Instituto Allan Memorial, em Montreal, entre os quais havia crianças. Basicamente, o subprojeto 68 consistiu em ministrar aos pacientes, por meses, doses fortes de drogas e fazê-los escutar ruídos repetitivos, o que fez com que muitos perdessem capacidades, como a fala, por exemplo.

conteúdo
supercurioso
seuhistory

Nenhum comentário:

Postar um comentário