01/09/2019

Saiba os alimentos que podem prolongar sua vida


As ervilhas e o queijo Rocherford contêm um composto que pode render alguns bons e saudáveis anos para a sua vida.

De acordo com um estudo publicado na revista Cell Metabolism e um outro na Nature estes alimentos - assim como milho, soja, outros grãos integrais e também queijos envelhecidos - possuem, naturalmente, um composto chamado espermidina, que ajuda na recuperação das áreas danificadas de uma célula, beneficiando a saúde e trazendo longevidade. Cientistas do Instituto Weizmann, de Israel, fizeram um experimento com ratos em que espermidina foi colocada na água para os animais beberem. O estudo indicou que o composto reparou danos nos ritmos circadianos dos ratos.

O ritmo cicadiano é conhecido como o relógio natural do nosso corpo, que está relacionado com a qualidade do nosso sono à noite. A maneira como dormimos poderá influenciar na forma como envelhecemos, no desenvolvimento do câncer, Alzheimer, Parkinson e inflamações crônicas. No estudo com os ratos, a espermidina fez com que os ritmos circadianos dos ratos funcionassem de forma mais rápida e eficiente. A esperdimina também pode auxiliar no combate aos radicais livres, ou seja, os causadores do envelhecimento e de inúmeras doenças sérias. Como não há suplementos de espermidina, então a solução é ingerir a substância pela dieta.


No estudo publicado na revista Nature, o composto foi capaz de prolongar o tempo de vida de moscas-das-frutas e suas larvas. Quando administrado a roedores, incluindo os de idade adulta, constatou-se uma expectativa de vida maior e também um melhor funcionamento cardíaco, além da diminuição da pressão sanguínea.

Testes com seres humanos, realizados em 800 voluntários italianos, revelaram que aqueles que tinham dietas com níveis altos de espermidina, desenvolviam até 40% menos problemas cardiovasculares e tinham tensão arterial mais baixa em comparação com quem não consumia a substância em sua dieta.




conteúdo
Jornal Conceito Saude
Nature
seuhistory

Nenhum comentário:

Postar um comentário