19/03/2020

Contagiado com "VÍRUS MENTAL", Eduardo Bolsonaro se dá mal ao atacar a China



O fruto não cai longe do pé...

Com essa premissa, vamos esperar o que do filho 03 do presidente Bolsonaro?
Eduardo Bolsonaro resolveu atacar a China, maior parceiro comercial do Brasil e se deu muito mal, com resposta imediata da China, através de sua embaixada no Brasil e de seu embaixador, que alegaram que Eduardo contraiu "VÍRUS MENTAL" nos Estados Unidos.
Eduardo postou em sua rede social  o seguinte:

"Quem assistiu Chernobyl vai entender o q ocorreu. Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa. [...] +1 vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas q salvaria inúmeras vidas. [...] A culpa é da China e liberdade seria a solução"

Imediatamente o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, respondeu em sua rede social:

"A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e a @camaradeputados. @BolsonaroSP @ernestofaraujo @RodrigoMaia", respondeu o embaixador.

Também obtendo resposta imediata oficial da embaixada chinesa:

"As suas palavras são extremamente irresponsáveis e nos soam familiares. Não deixam de ser uma imitação dos seus queridos amigos. Ao voltar de Miami, contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizades entre os nossos povos", publicou a embaixada.

"Lamentavelmente, você é uma pessoa sem visão internacional nem senso comum, sem conhecer a China nem o mundo. Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil, sob a pena de tropeçar feio. @ernestofaraujo @camaradeputados @RodrigoMaia", acrescentou.

O presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, desculpou-se com a China em nome do Brasil:

"Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador @WanmingYang pelas palavras irrefletidas do Deputado Eduardo Bolsonaro"

A atitude não condiz com a importância da parceria estratégica Brasil-China e com os ritos da diplomacia. Em nome de meus colegas, reitero os laços de fraternidade entre nossos dois países. Torço para que, em breve, possamos sair da atual crise ainda mais fortes.

Relação Brasil-China


De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, as relações comerciais entre Brasil e China "têm se caracterizado por notável dinamismo".
"Desde 2009, a China é o principal parceiro comercial do Brasil e tem sido uma das principais fontes de investimento externo no País. O relacionamento vai além da esfera bilateral: Brasil e China têm mantido diálogo também em mecanismos como BRICS, G20, OMC e BASIC (articulação entre Brasil, África do Sul, Índia e China na área do meio ambiente)", afirma o Itamaraty em um texto publicado no site oficial.
Ainda de acordo com a pasta, o comércio bilateral entre Brasil e China saltou de US$ 3,2 bilhões em 2001 para US$ 98 bilhões em 2019 (em 2018 foram US$ 98,9 bilhões).
"A China é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009. Em 2012, a China tornou-se o principal fornecedor de produtos importados pelo Brasil", acrescentou a pasta, no mesmo texto.

com conteúdo 
G1

2 comentários:

  1. Até quando seguiram ofendendo e atacando a diplomacia internacional? É uma burrice atrás da outra!!

    ResponderExcluir
  2. Essa família Bostonaro não existe kkkkk

    ResponderExcluir